Segunda-feira, 9 de Junho de 2008
POESIA -A- MOTE

Mote

-

Qundo espreitavas á janela,

da minha imaginação

Deixei que,penetrasses nela;

chegaste ao meu coração.

-

Glosas

-

Quando espreitavas á janela

Fiquei inquieto a pensar

Quem será a donzela?

Que à janela veio espreitar

-

Tornei a passar, e usei

Da minha imaginação

para a tua janela olhei

Chamando a tua atenção

-

Assim fiquei preso a ela

Ali na rua plantado

Deixei que penetrasses nela

Caminhamos lado a lado

-

Nossos olhos eram janelas

De ansiedade e emoção

Falámos de coisas belas

Chegaste ao meu coração

-

Josémanangão

 



publicado por POESIA-NO-POPULAR às 15:59
link do post | comentar | favorito

2 comentários:
De maria a 15 de Junho de 2008 às 05:30
Sempre gostei da poesia com mote e glosas....
... ainda mais quando tem esta vertente...

:))


De POESIA-NO-POPULAR a 15 de Junho de 2008 às 14:53
Maria
Obrigado amiga, este meu blog tem pouca divulgação, mas é para ele que eu descarrego os meus desabafos, mais inimos poeticamente falando
Bjos amiga.
JM


Comentar post

.mais sobre mim
.Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


.posts recentes

. BRINCADEIRA

. DESGARRADA POÉTICA POPULA...

. "SER CRIANÇA"

. POESIA A MOTE

. MEUS DEDOS

. POESIA -A- MOTE

. NO OUTONO DA VIDA

. "DESGARRADA POÉTICA"

. CONTINUAÇÃO DO POST ANTER...

. "CULTURA POPULAR"

.arquivos

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.favoritos

. DVD de ALFREDO MARCENEIR...

.links
.as minhas fotos
.pesquisar
 
blogs SAPO
.subscrever feeds